Paa

Paa

He suffers from a progeria like syndrome. Mentally he is 13 but physically he looks 5 times older. In spite of his condition, Auro is a very happy boy. He lives with his mother Vidya, who is a gynaecologist. Amol is young, progressive politician. He is a man with a mission. Auro is Amol's son. Paa is a 'rare' story about a father-son, son-father relationship.

A politician's relationship with his unusually developed son - the child suffers from a disease that causes him to age rapidly, rendering him an old man. . You can read more in Google, Youtube, Wiki

LinksNameQualitySeedersLeechers

Paa torrent reviews

Venetia D (br) wrote: It's cute, it's festive, it's christmassy and I liked it!

Gary M (kr) wrote: It was an alright storyline but looks pretty fake.

Jillian S (nl) wrote: love this movie! remember watching it when I was younger and was super excited to watch it again, was definitly not disappointed

Wes S (es) wrote: Kind of weird, a bit good yet not really smart. The characters are kind of silly for the most part, and the movie drags on for a while, but there is some interest. It doesn't quite hit any marks though, or maintain to any sort of memorability.

Cameron M (kr) wrote: It could use some fat-cutting but rising above some of its limiting material, Mrs. Doubtfire is a spectacle showcase for Robin William's talents as well as a wonderful character study.

Nick S (mx) wrote: Visually wonderful. Good ideas, but really really pretentious and dull, dull dull dull and more dull. dull

Victor B (gb) wrote: Sou suspeito para falar de "Ragtime". Tambm sou suspeito para falar de Milos Forman. Mas quando digo que sou suspeito para falar de "Ragtime", no estou referindo-me ao filme, mas sim ao livro escrito pelo prolfico americano E.L. Doctorow. Afinal de contas, "Ragtime" o meu livro favorito, e guardo-o carinhosamente na minha prateleira. Milos Forman havia acabado de sair de um clssico dos musicais, e - como dizem para mim - um filme de importncia sociopoltica incomensurvel: Hair (Hair, 1979). Foi quando Dino De Laurentiis, o famoso produtor italiano, convidou-o para dirigir a adaptao do best-seller de Doctorow. Na verdade, Forman estava substituindo Robert Altman, que havia dirigido o fraco Popeye, em 1980, apenas um ano antes do lanamento deste filme. Deus sabe o que Altman foi fazer para desistir de Na poca do Ragtime, por que este o filme perfeito para ele: mltiplas histrias, crtica aos costumes retrgrados de uma sociedade (por assim dizer) moralista. Enfim, cada um sabe o que faz. Mas, sendo sincero, Forman no era a melhor opo para dirigir este filme. O diretor tcheco simplesmente no soube como dividir os 155 minutos de filme para as seis linhas narrativas principais do filme. Em linhas gerais, o objetivo de Na poca de Ragtime montar um painel que mostre como funcionavam os costumes e as mentes da Amrica no incio do sculo XX. Em New Rochelle vive uma tpica famlia de classe mdia-alta norte-americana - gramado mais-que-verde no jardim, uma hortinha no quintal, cerca, uma empregada, etc. Papai (James Olson) o homem que tem o sagrado dever de manter a famlia funcionando. Na casa ainda vivem Mame (Mary Steenburger), Irmo Mais Novo (Brad Dourif), sem contar com o filho e o vov e a empregada, Brigit. No demora muito para percebermos que as coisas no so assim to agradveis nesta residncia de New Rochelle: o Irmo Mais Novo obviamente luntico, Mame tem seus direito de pensar revogado por Papai (so incontveis as vezes que ela diz "Eu acho que..." e Papai a corta com a frase "Eu acho que minha esposa quis dizer..."). As coisas s pioram quando surge um beb na horta do fundo do quintal. No demora muito para Sarah (Debbie Allen), a me da criana. Ela negra e rapidamente j tachada de "criatura abominvel". Nas palavras do policial que a leva para a casa da famlia: "No podemos compartilhar os mesmos pensamentos que essa gente [negros]. No so cristos como ns." No obstante, surge a figura mais importante da trama: Coalhouse Walker Jr. (Howard E. Rollins Jr.). Elegante, bem-educado, pianista especializado em ragtime ("Primeiro eu toco o que pedirem. Depois, ragtime"). Ao mesmo tempo conhecemos a histria de Evelyn Nesbit (Elizabeth McGovern, linda). Carismtica, enigmtica, interesseira. Ela est casada com "Henry K. Thaw, de Princeton!". Mas Henry K. Thaw est muito aborrecido, pois Sanford White construiu uma esttua, com claros traos similares ao da garota. um nu que est pendurado no alto do Madison Square Garden. Resultado: K. Thaw mata White com um tiro na cabea e agora responde a processo. Pouco tempo depois Nesbit conhece Irmo Mais Novo e Tateh. Ela se apaixona pelo Irmo Mais Novo e aparentemente cria afeio por Tateh. Por gostar tanto do livro (parafraseando Forman, Doctorow escreve como um anjo), acabo ficando com mais dificuldades do que imaginava. Entretanto, vou separar as duas coisas. Caso contrrio, acabaria ficando tal qual uma f de "Harry Potter", aborrecida por que parte X do livro no foi para o filme. No, o problema no este. O problema que o roteiro do filme no consegue criar uma trama uniforme para o longa. Apesar do roteirista Michael Weller (e do roteirista Bo Goldman, de Um Estranho no Ninho, que teve participao no creditada) cortar grande parte das narrativas paralelas (por exemplo, no livro, acompanhamos a depresso do mgico Harry Houdini aps a morte da me, e a trajetria de Tateh depois de deixar Nova York e ir tentar vida nova na Filadlfia), jamais conseguimos nos sentir totalmente envolvidos por aquela trama, que parecia to promissora. Como Irmo Mais Novo conseguiu se envolver amorosamente com Evelyn Nesbit? Ningum sabe. O roteiro de Weller salta de um segmento para outro de forma to louca que a narrativa torna-se incompreensvel. A personagem de Tateh totalmente esquecida pelo roteiro, assim como Nesbit. Weller prefere dar mais ateno personagem de Coalhouse Walker Jr., que - no por acaso - transforma-se na figura mais interessante do filme. Entretanto, se no livro, Walker era uma vtima das circunstncias, Weller transforma-o numa figura arrogante e prepotente, que age com requintes de loucura e insanidade. No toa, a melhor cena do filme, quando Walker conhece Brooker T. Washington, foi copiada letra por letra do livro. Mas se o roteiro falho, no podemos falar o mesmo da direo de Forman. O homem filma como um lorde. Com uma elegncia impressionante. Um exemplo? Repare na tenso que o diretor estabelece na cena do assassinato de Stanford White. Numa srie de cortes geis e secos (mostrando, assim, um dos maiores trunfos do filme: a montagem precisa de Anne V. Coates), Forman mostra o estado de nervos de Henry K. Thaw, a ignorncia de White sobre o que est para lhe acontecer e - ironicamente - o objeto que criou toda aquela situao: o nu de Evelyn Nesbit. Alm da tima direo de Forman, o designer de produo de John Greysmark e a excelente trilha sonora de Randy Newman (sim, o mesmo Randy Newman da Pixar) marcam presena no filme. Inclusive a msica One More Hour, que toca durante os crditos finais do filme, composta por Newman, foi indicada ao Oscar do ano de 1981. No fim das contas Na poca do Ragtime prova-se um filme mdio, que caiu no limbo do esquecimento, dentro da carreira de seu diretor. Forman, diretor de poucos filmes, escorregou feio com esta obra. Fazer o que? Nada. De toda forma, Na poca do Ragtime, com suas boas atuaes (destaque para Elizabeth McGovern, que apenas alguns anos mais tarde estrelaria a obra-prima de Sergio Leone, Era Uma Vez na Amrica, interpretando um papel similar), serviu de preparao para Forman produzir seu filme mais poderoso: Amadeus.

Pampalini L (br) wrote: Idealistic engineer-trainee and his experiences in teaching a group of rambunctious white high school students from the slums of London's East End.

Richard S (br) wrote: This is a weird-ass movie. But just kooky enough to be entertaining.

Kevin G (de) wrote: Jimmy Stewart, one of the greats, in one of the finest performances of his career. Though its idealism is worthy of applause, it's marred slightly from over-simplifying both the conflict and the resolution.