Stream in HD   Download in HD


The White Viking

The White Viking

Norway in the 10th century. Askur, son of the powerful Thorgeir marries Embla, daughter of one of the few remaining landowners in Norway, in a pagan ceremony. King Olav, a ruthless christian, wants to eredicate all traces of non-christian beliefs and captures the two of them during the ceremony. In order to free Embla, Askur must go to Iceland and convert the people there to catholicism.

Norway in the 10th century. Askur, son of the powerful Thorgeir marries Embla, daughter of one of the few remaining landowners in Norway, in a pagan ceremony. King Olav, a ruthless ... . You can read more in Google, Youtube, Wiki

LinksNameQualitySeedersLeechersSize
Download   Hviti Vikingurinn / The White VikingOther48451.37 GB
Download   Hvíti víkingurinn.1991.Vhsrip.Swesub.XviD-elementsOther49381.36 GB

The White Viking torrent reviews

Jesus R (mx) wrote: I'm a man and I love this movie... Patrick Dempsey is so freaking witty And brings a whole lot of laughs to this story. :)

Erik G (es) wrote: Welcome to Great Bay High School, where young minds are shaped, and the real education begins after class. While falling for the cutest girl in his class Mike knows that he's looking for love in all the wrong places. Chuck loses his virginity with his girlfriend and finds that she wants to take things to "the next level". Barry has the obsession of creating his perfect woman on his computer. Fred meets an online girl and goes to her home for sex games but learns that he's in the wrong apartment. Mateus faces the aftermath of a wild night of partying. And Griffin is in love with an electric vagina.Directed by Adam Jay Epstein and Andrew Jacobson, 'Extreme Movie' stars the following:1.) Andy Milonakis (Justin)2.) Cherilyn Wilson (Stacy)3.) Frankie Muniz (Chuck)4.) Jamie Kennedy (Mateus)5.) Matthew Lillard (Himself)6.) Michael Cera (Fred)7.) Ryan Pinkston (Mike)Despite the title, 'Extreme Movie' is not what you'd think - an another comedy spoof going after Spartans, epic blockbusters, or disaster-themed stuff. Rather, it shows public service announcements on teen sex. And while I find the series of short vignettes about teen sex amusing, they're not at all funny with our characters doing sex acts and not interacting with each other from scene to scene. Sequences like the Abe Lincoln spoof, a live sexy webcam stripping, and Michael Cera's break-in did entertain me, but I don't see the comedic value of it. And if I want to look at that Blue Ball, I know that he looks like a horny Muppet version of a combination of Grover and Elmo. Again, 'Extreme Movie' is not at all funny and I don't mind not recommending to everyone unless it's for the teen sex romp film fans.

Nicole I (de) wrote: Nora was not what I expected... but hey she was up again Natalie.... she is amazing. Tough crowd. I did however watch Jude Law kiss Nora in the last scene about 26 times. That was a hot f'ing kiss. Yummmmm.

April N (ca) wrote: Joseph Fiennes is awesome. A sexy thriller.

James F (mx) wrote: Kate Winslet is an Aussie backpacker brain-washed into joining a cult while travelling in India. Harvey Keitel is hired by her parents to de-programme her and ends up in a twisted relationship as they try to assert themselves over each over.Quite amusing in places (mostly from the Aussie supporting cast), it has a strong performance from the lead pair, but has a slightly unsatisfying ending. It is nevertheless recommended for something different to watch.

HYENA JERK (au) wrote: funny and keri russel is spot on as the girl next door..and the end is just hilarious

Private U (br) wrote: It's a nice comedy, I got many good laughs and Tom Berenger just looks too hot in the uniform!

Christian S (de) wrote: Okay, maybe the tatooed half naked lady assassin is a bit over the top, but this is still the stuff of legends

Will D (kr) wrote: This is an analysis of religious hysteria, the protagonist blindly becomes a disciple of two spiritual figureheads... one godly, the other demonic. Overly talky and not a whole lot of momentum.

Victor B (fr) wrote: Filmes como este me lembram por que gosto de Cinema. Nada pode ser comparado ao sentimento, a sensao de xtase de ver um grande plano, de sentir a fora da equipe carregando a cmera em cima do dolly, a elegncia de um enquadramento. E estamos falando de um filme de Max Ophls (A Ronda, Carta de uma Mulher Desconhecida), mais elegncia impossvel. Sinceramente, no consigo imaginar um diretor diferente para O Prazer, pois este filme esbanja elegncia e requinte desde seus crditos iniciais. Mas o interessante, a ideia do filme bastante simples. Ophls e seus roteirista Jacques Natanson renem trs contos do escritor francs Guy de Maupassant. Ophls os filma de forma independente, criando trs segmentos distintos, podendo serem assistidos de forma solta, sem comprometer o entendimento do que est sendo mostrado. No primeiro segmento, Ophls conta a histria de um homem de idade avanada (Jean Galland), que frequenta um local chamado "O Palcio da Dana" utilizando uma mscara. A justificativa - agora que est velho e perdeu seu charme e juventude, deve utilizar este disfarce para galantear mulheres mais novas. O segundo segmento, e mais longo, conta a histria de um bordel que deve fechar por um dia - ou melhor, uma noite. Esta histria tem duas linhas narrativas: na primeira ns conhecemos os efeitos desastrosos que o fechamento temporrio do bordel causa na pequena vila onde fica localizada, na costa Norte da Frana. Na segunda - e melhor - linha narrativa do segmento, conhecemos como foi o passeio das mujeres. O ltimo segmento, o de histria mais simples, entretanto, com a maior carga dramtica. Um pintor, Jean (Daniel Gelin), apaixona-se instantaneamente por uma modelo, Josphine (Simone Simon). Eles vivem uma vida de sonhos, trocam juras de amor eterno e todos esses clichs. Mas logo o amor acaba e eles vivem juntos apenas para manter as aparncias. A convivncia torna-se insustentvel, e Jean foge da vida conjugal. Mas Josphine descobre que ainda o ama, e tudo pode terminar em consequncias trgicas. E estas trs histrias so contadas com o mesmo primor tcnico e narrativo por Ophls. Quem conhece, sabe: Ophls era um arteso, um iconoclasta. At por que, imagem maior que som, no Cinema. Veja voc, por exemplo, como os dez primeiros minutos do primeiro segmento, que ocorre dentro do Palcio da Dana, so a melhor parte da primeira historieta. Por que? Por que ali, naquele ambiente furioso e agitado, onde o diretor alemo, mais seu fiel fotgrafo Christian Mantras, pode exibir toda sua grife. A cmera correndo no dolly de forma agitada. Repare no giro de 360o que ela faz. Agora, obviamente que o filme no sobrevive apenas desta imagem. Curiosamente, apesar de toda elegncia que eu apontei, dentro do estilo de seu realizador, O Prazer um filme sobre gente como a gente (perdoem o trocadilho infame que fiz com o filme de Robert Redford), existe pouca suntuosidade, fora o trabalho de cmera realizado por Mantras e Philippe Agostini (o primeiro o fotgrafo dos dois primeiros segmentos, Agostini fotografou o ltimo). Alis, antes de fechar este tpico: de Agostini que vem a sequncia mais impressionante do filme, a tentativa de suicdio de uma das personagens do filme, quando este se atira de uma janela. A cena comea normal, observando o dilogo. Ento ele sobe as escadas. No momento em que a personagem sobe as escadas, no mesmo take, a cmera assume o ponto de vista dele. Vemos apenas a mo do suicida abrindo a janela. Ainda no ponto de vista da personagem, vemos sua queda, partindo a claraboia de uma espcie de estufa. Este plano seria repetido alguns anos mais tarde, s que desta vez por Christian Mantras em Lola Monts (Lola Monts, 1955), primeiro e nico filme a cores de Ophls, com a linda Martine Carol no papel principal. E certamente este plano subjetivo suicida influenciou Kubrick na cena em que Alex se joga da casa do Sr. Alexander em Laranja Mecnica (A Clockwork Orange, 1972), afinal, Kubrick era f confesso de Ophls. Eu estaria mentindo se dissesse que, assim como Lola Monts, Le plaisir s imagem. No. Ophls utiliza sua grife visual para investigar a vida da gente miservel e destroada que ele decide filmar. Antes disso, o filme tem um roteiro poderoso, e simptico s pessoas que o filme mostra. Tente no se emocionar com o fluxo de conscincia de uma das meretrizes do segundo segmento. Um momento, que justifica e esclarece os acontecimentos que se seguem. extremamente minimalista, um monlogo com a cmera nos trilhos, se aproximando da personagem. E no h nada mais saboroso do que o minimalismo. Alie este roteiro sensacional com uma montagem gil de Lonide Azar e a um design de produo excelente de Jean d'Eaubonne. Veja como, mesmo com Ophls evitando que ns, o pblico, entremos no bordel do segundo segmento (para ele, ns somos bisbilhoteiros entrando na vida secreta dos homens que andam naquele lugar), podemos ver tudo que acontece naquele local. O ambiente perfeitamente desenhado por d'Eaubonne e belssimamente decorado pelo diretor de arte Robert Christides. Mas, devo confessar. Max Ophls mestre. Ele ressucitou, na voz de Jean Servais, Guy de Maupassant. E qualquer um que tenha esse poder merece meu respeito. Ainda mais tendo a maestria de Ophls.

I dont know w (nl) wrote: A classic plot with classic actors, including HUMPHREY BOGART!

Jason P (jp) wrote: The Classic Boetticher formula proves successful and entertaining yet again. Great little twist at the end, too.